27.10.06

Um mistério

Algumas incertas mãos raptaram ontem os cartazes de «Brava Dança» que haviam ficado expostos na Culturgest e levaram-nos para local ignoto.
Sabemos que são mãos hábeis.
Esperamos que sejam também mãos enternecidas, mãos frementes, mãos esclarecidas.
Em tal caso, os cartazes estariam bem entregues.

Talvez a propósito, eis um extracto de um outro poema de Herberto Helder («Onde Não Pode a Mão», in A Cabeça Entre as Mãos, ed. Assírio e Alvim, 1982):

(...) Há
que ter a transparência da morte,
É preciso ser dental : ter entranhas : ser igual
ao furor das coisas :
da metáfora
das coisas, Um pouco de acrescento
manual ao raio que destroça
a mão, Ou engolir no tubo assoprado
tanto
do ar do fundo, Há que ser
ferramenta de música

4 comentários:

André Ludovice Paixão disse...

Parabéns realizadores, obrigado Heróis do Mar!

Estive na Culturgest e fiquei speechless com o que vi e revivi...
Aquele grupo de jovens rapazes cheios de nervo e talento furaram barreiras intransponíveis apenas, e como dizia o Paulinho da Viola(talvez o a frase mais bonita de todo o filme, e adorei o filme!!), porque "eles tinham um grande respeito por aquilo que estavam a fazer...".

O aparecimento dos Heróis naquela época foi uma tamanha pedrada no charco que o charco ficou sem água mas os fartos salpicos espalharam-se molhando tudo e todos, sendo que alguns ainda têm a roupa molhada e dificilmente secará...só comparável,talvez à vinda dos Genesis ,ERA GABRIEL, em 75 com todo o enquadramento socio-politico de então.

Vocês foram pessoas grandes embora rapazes muito novos, mas por isso mesmo o vosso idealismo tenha sido tão em bruto como genuino e por isso ainda hoje tenho saudades desse tempo. O grande concerto do RRV (que não vem retratado no filme)ficou gravado para todo o sempre na minha memória!

BRAVO HERÓIS DO MAR! E obrigado por terem contribuido para a minha formação enquanto rapaz.

Um abraço para todos

André Ludovice Paixão

Elemental disse...

Bolas...e andava eu à espera de Domingo para ser eu próprio um dos respigadores dos cartazes...afinal alguém mais objectivo que eu decidiu faze-lo antes e muito bem. E de certeza que é alguém que os estimará, como eu estimaria. A ver se disponibilizam ou vendem isso aos interessados: só faz sentido, para não se generalizar mais gamanço.
ELEMENTAL

Anónimo disse...

Eu não vi esse concerto no RRV, pois tinha 9 aninhos ainda, mas o meu mano mais velho lá estava.
Ontem vi o Rui Cunha na RTPn, uma conversa entusiasmante para mim, e achei muita piada quando ele disse, para descrever o que foram os HDM, que eles tinham sido a 1ª Boys band em Portugal ! :) De facto, só cá faltava mais este acrescento, para definir estes rapazes de Lisboa. Até nisso eles foram pioneiros !:)
Obrigado mais uma vez, aos criadores do filme e deste blog.
Jorge Carvalho

Anónimo disse...

Para quando no YouTube / google video?